Siga-nos nas redes

Economia

Covid-19: Setor português dos espetáculos com quebras 87% na faturação

Publicado

em

Segundo manifesto da Associação de Promotores de Espetáculos, Festivais e Eventos (APEFE), que promove no sábado em Lisboa um protesto do setor, o mercado dos espetáculos registou uma quebra de 87% entre janeiro e outubro deste ano, face a 2019.

Admitindo que “não será difícil que esta quebra possa atingir os 90% até ao final do ano”, no “Manifesto pela Sobrevivência da Cultura em Portugal”, divulgado esta quarta-feira, a APEFE alerta para o impacto do “agravamento das medidas nas últimas semanas [anunciadas pelo Governo para tentar conter a pandemia da covid-19] e a sua continuidade, ou até um eventual novo confinamento social”,

Para aquela associação, “é chegado o momento de os decisores políticos dizerem o que querem para Portugal, no que respeita à Cultura e às manifestações artísticas enquanto fatores capitais e determinantes para a vida de cada indivíduo e enquanto fatores de coesão e de progresso da sociedade e dos cidadãos”.

No manifesto, a APEFE elenca uma série de questões, às quais considera que é “preciso, clara e inequivocamente responder”.

“Fechamos auditórios, salas de espetáculos, teatros? Vale a pena manter as galerias e promover exposições? Para que serve afinal um centro cultural ou um teatro? E os festivais de cinema e as salas de exibição de filmes? O que dizer das livrarias? Acabamos com os festivais e com os concertos? E o que dizer de toda a cadeia de valor associada às atividades artísticas e culturais? E os cruzamentos com os outros setores da Economia?”, questiona.

Recordando que “o setor privado da Cultura é responsável por mais de 80% das receitas de bilheteira, [que] é quem mais investe e cria públicos e (…) se substitui ao Estado na oferta cultural”, a APEFE alerta: “Os promotores, as salas, as empresas de audiovisuais e equipamentos para espetáculos, os artistas, os autores, os agentes, os produtores, os técnicos, e profissionais dos espetáculos estão sem chão”.

De modo a evitar, entre outros, “o aumento dos desempregados (sabendo que nem todos terão acesso a este apoio do Estado), as falências e as insolvências das empresas, e os danos irreparáveis para a saúde mental de toda a sociedade, se esta atividade for interrompida”, a APEFE exige “um apoio a fundo perdido da ‘Bazuca Europeia’ correspondente a 20% da quebra de faturação das empresas e a 40% no rendimento de artistas, técnicos e profissionais dos espetáculos, vulgo ‘intermitentes’, valor este a ser pago em duodécimos, de janeiro a dezembro de 2021”.

A ‘Bazuca Europeia’ a que se refere a APEFE são os 13,2 mil milhões de euros (a preços de 2018) que Portugal vai receber em subvenções (a fundo perdido), até 2023, através do Mecanismo de Recuperação e Resiliência, o principal instrumento do Fundo de Recuperação europeu pós-crise gerada pela covid-19.

No início deste mês, a Fundação GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas apelou ao Governo para que aplique no setor cultural e criativo pelo menos 2% destas verbas.

No manifesto, a APEFE pede também ao Governo “o adiamento, por mais um ano, das moratórias e dos créditos empresarias, até setembro de 2022, o acesso a linhas de crédito com carência de capital por um ano e meio e máximo 1% de ‘spread’ e comissões bancárias incluídas”; pede também “que não afastem o público, sabendo que todos os espetáculos ao vivo são realizados de acordo com a regras sanitárias”.

Assumindo que “a recuperação de todo este setor empresarial demorará anos”, a APEFE defende que ainda “pode ser salvo”.

“Algumas dezenas de empresas já fecharam portas e outras centenas lutam diariamente para não seguirem o mesmo caminho, lutam para não despedir nenhum colaborador. Sem apoios concretos e contextualizados adequados às reais necessidades das empresas do sector e aos milhares de trabalhadores para quem a cultura é sinónimo de existência e subsistência, o fim está próximo. Infelizmente para muitos, o fim já chegou”, assegura.

A APEFE marcou para sábado uma ‘Manifestação pela Cultura’, no Capo Pequeno, em Lisboa.

Contactada pela Lusa, Sandra Faria, da APEFE, explicou que a manifestação irá decorrer “dentro do Campo Pequeno, como se de um espetáculo se tratasse”. Ou seja, “cumprindo as regras impostas pela Direção-Geral da Saúde”, e com a capacidade do recinto limitada a duas mil pessoas.

A APEFE convidou “associações e movimentos formais e informais do setor”, bem como “artistas” a juntarem-se ao protesto.

As salas de espetáculos encerraram em março, quando foi decretado o primeiro estado de emergência, embora os espetáculos tenham começado a ser adiados ou cancelados antes disso. Puderam reabrir a partir de 01 de junho, mas com normas de higiene e segurança.

Com a entrada em vigor do segundo estado de emergência e o decreto de um novo recolher obrigatório, desta vez parcial, salas de espetáculos um pouco por todo o país viram-se obrigadas a alterar horários ou a adiar programação, de modo a conseguirem sobreviver.

O Governo decretou o recolher obrigatório entre as 23:00 e as 05:00 nos dias de semana, a partir de 09 de novembro e até 23 de novembro, nos 121 municípios mais afetados pela pandemia, assim como “limitação da liberdade de circulação” nos fins de semana de 14 e 15 de novembro e de 21 e 22 de novembro.

Desde segunda-feira, dia 16, passaram a ser 191 os concelhos abrangidos por estas restrições.

PARTILHE ESTE ARTIGO:

Jornal

Rádio

Artigos Recentes

Desportohá 6 horas

Reportagem Rali de Famalicão 2021

O piloto Adruzilo Lopes, navegado por Paulo Silva, foi o vencedor da edição 2021 do Rali de Famalicão. A dupla...

Famalicãohá 7 horas

Coligação Mais Ação Mais Famalicão apoia Carlos Lima na recandidatura à Junta de Freguesia de Mogege

A coligação “Mais Ação Mais Famalicão” apresentou, este domingo, o seu apoio ao presidente da Junta de Freguesia de Mogege,...

Paíshá 12 horas

Covid 19. Mais 2.625 novos casos e oito mortes

Portugal registou este domingo mais oito mortes pela Covid-19 e mais 2.625 casos, segundo os dados do mais recente boletim...

Famalicãohá 13 horas

Famalicão: Projeto de reabilitação do Largo Senhor dos Aflitos está aberto às propostas da população

Criar um espaço que sirva a todos e dar-lhe a dignidade que merce. Foi com este pressuposto que o presidente...

Mundohá 14 horas

Papa: “Cuidem dos idosos porque estes não são sobras da vida”

O Papa Francisco apelou este domingo para que se cuidem dos idosos porque eles “não são sobras da vida ou desperdícios...

Regiãohá 17 horas

Vila do Conde: adolescente e homem em dificuldades no mar resgatados

Os elementos do “Projeto SeaWatch”, pertencente à Autoridade Marítima Nacional, colaboraram ontem no auxílio a duas pessoas, um homem de...

Famalicãohá 17 horas

CDU de Famalicão alerta: “há muitos famalicenses sem médico de família”

Os comunistas famalicenses alertam que há muitos famalicenses sem médico de família. A CDU de Famalicão, representada por Miguel Lopes,...

Famalicãohá 17 horas

Verão tímido: domingo de aguaceiros e semana com temperaturas amenas

Depois deste domingo com céu nublado e alguma chuva, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê, para...

Paíshá 18 horas

Morreu Otelo Saraiva de Carvalho, o “capitão de Abril”

EM ATUALIZAÇÃO Otelo Saraiva de Carvalho, o principal operacional do golpe de Estado de 25 de Abril de 1974, morreu...

Sociedadehá 18 horas

Famalicão: Coligação apresenta candidatos na União de Abade e Antas e de Seide S. Miguel e S. Paio

Este domingo a coligação “Mais Ação Mais Famalicão” apresenta Manuel Alves, que se recandidata a um terceiro mandato à frente...

Famalicãohá 19 horas

Famalicão: Incêndio destrói ecopontos no centro da cidade

Um incêndio destruiu três ecopontos, esta madrugada. Pelas 02h42m, os Bombeiros Voluntários Famalicenses foram acionados para um incêndio nos ecopontos...

Famalicãohá 19 horas

Famalicão: PS apresenta hoje mais quatro candidatos nas freguesias

O Partido Socialista oficializa neste domingo a candidatura de Álvaro Machado, o primeiro presidente democraticamente eleito da Junta de Freguesia...

Entretenimentohá 19 horas

Famalicão: Toy canta hoje no Anima-te

A música popular romântica sobe, hoje, ao palco do Anima-Te, em Famalicão, pela voz do cantor Toy, pelas 19h00.  Natural...

Famalicãohá 1 dia

Famalicão: Homem de 39 anos gravemente ferido após queda de andaime em Vilarinho das Cambas

Um homem de 39 anos ficou gravemente ferido, durante a tarde deste sábado, após ter caído de um andaime, no...

Desportohá 1 dia

FC Famalicão vence o Feirense e segue em frente na Taça da Liga

O Famalicão venceu hoje o Feirense por 1-0, em jogo da primeira fase da Taça da Liga em futebol, disputado...

Famalicãohá 1 dia

Apagão não foi só em Famalicão. Afetou várias zonas do país e teve origem na Europa

Terá sido um problema na rede elétrica de alta tensão, que originou a falta de eletricidade que afetou, na tarde...

Famalicãohá 1 dia

Várias freguesias de Famalicão ficaram esta tarde sem luz elétrica

Várias freguesias do concelho de Famalicão ficaram na tarde deste sábado sem luz elétrica. O problema poderá estar relacionado com...

Regiãohá 2 dias

Movimento “Viver o Ave” nomeado para o prémio Guarda Rios 2021

O Movimento “Viver o Ave” é um dos cinco nomeados para o prémio Guarda Rios 2021 promovido pela associação ambiental...

Desportohá 2 dias

REPORTAGEM: AD Ninense ganha novo campo e iluminação LED

A Associação Desportiva Ninense inaugurou este sábado um novo campo de futebol de 7 com relvado sintético e a iluminação...

Paíshá 2 dias

Covid 19:Mais 20 mortos e 3396 novos casos em Portugal

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde deste sábado dá conta de 3396 novos infetados e mais 20 vítimas mortais. No...

Arquivo

FAMA NAS REDES

ANUNCIE NESTE ESPAÇO > ligue +351252308147 ou WhatsApp para +351963964191