Siga-nos nas redes

Economia

Restauração: “Vocês estão a matar os que querem trabalhar”

Publicado

em

Manifestaram-se hoje em frente ao parlamento por melhores apoios várias centenas de empresários e trabalhadores da restauração, bares, discotecas, cultura, eventos, alojamento e táxis

“Portugal não pode ser menu completo para uns, meia dose para outros e, para muitos, pão e água”, ouviu-se durante os discursos de vários representantes daqueles setores, que falaram esta tarde num palco montado em frente à Assembleia da República, em Lisboa, perante várias centenas de pessoas que vieram, sobretudo, do norte do país, Alentejo e Algarve, respondendo ao repto lançado pelo Movimento A Pão e Água.

O alvo principal das queixas foi o primeiro-ministro, António Costa, tendo a organização convidado todos os empresários a irem para as portas dos seus negócios esta noite, pelas 22:30, bater com tachos, numa ação à qual deram o nome de “tachar o Costa”.

“Vocês estão a matar os que querem trabalhar”, gritaram diversas vezes os manifestantes, alguns deles com os seus negócios fechados há nove meses, como acontece com muitos bares e discotecas.

A principal reivindicação dos profissionais daqueles setores, que sofrem os efeitos da pandemia do novo coronavírus e das medidas adotadas pelo Governo para conter a sua propagação, é que lhes seja permitido trabalhar nos seus horários normais.

Não podendo funcionar sem restrições de horário, aqueles empresários pedem, então, melhores apoios, como a isenção de pagamento da Taxa Social Única (TSU) e apoios a fundo perdido.

“O Estado tem de deixar, de uma vez por todas, de fazer contas de merceeiro e vir falar connosco, nós estamos disponíveis para falar, porque o Dr. António Costa não percebe nada de restauração, não percebe nada de noite e tem de falar com quem percebe”, disse o porta-voz do Movimento A Pão e Água, José Gouveia, à Lusa.

“Lá fora, na Alemanha, em Espanha, França, pagam para as empresas estarem encerradas e aí faz sentido. Agora, se não há forma de nos pagar, então, por favor, deixem-nos trabalhar”, acrescentou.

A marcar presença na manifestação esteve Ascensão Quintas, gerente de um restaurante em Braga, há 37 anos, que conta neste momento com sete funcionários, depois de se ver obrigada a despedir três pessoas.

Sem conseguir conter as lágrimas, Ascensão Quintas disse à Lusa que está a ver a sua vida a “enterrar-se”, com ordenados e rendas para pagar, despesas às quais não consegue fazer face só com as receitas do “take away”.

“Já lutei muito e custa-me muito estar a ver o meu negócio a ir por água abaixo”, lamentou a empresária minhota, admitindo estar quase a desistir.

A saúde mental destes empresários foi também um dos temas abordados durante os discursos desta tarde, com vários relatos de situações de desespero que vivem várias famílias, que dependiam dos seus negócios.

Aos jornalistas, o rosto mais mediático deste movimento, o ‘chef’ Ljubomir Stanisic, disse não fazer ideia como é que os empresários daqueles setores vão resistir, com o Natal a aproximar-se e a terem de pagar o 13.º mês aos seus trabalhadores.

“Nós não estamos agora a pedir dinheiro, nós não queremos que nos apoiem, nós queremos, simplesmente, que nos deixem trabalhar”, sublinhou.

Os manifestantes foram respondendo aos vários apelos da organização para que respeitassem as regras de distanciamento, o uso de máscara e para que lutassem “pelos seus direitos civilizadamente”, tendo agradecido com palmas aos elementos do corpo de segurança ali presentes.

No final, tal como nas outras manifestações organizadas no Porto e em Faro, acenderam-se tochas e fez-se um minuto de silêncio pela “morte” de vários negócios que não conseguiram resistir às dificuldades, simbolizados por um caixão, ouvindo-se, por fim, o hino nacional.

O Governo anunciou no sábado as medidas de contenção da pandemia da covid-19 para o novo período de estado de emergência: nas vésperas dos feriados, o comércio encerra a partir das 15:00 em 127 concelhos do continente classificados como de risco “extremamente elevado” e “muito elevado” e mantêm-se os horários de encerramento do comércio às 22:00 e dos restaurantes e equipamentos culturais às 22:30 nestes concelhos e em mais outros 86 considerados de “risco elevado”.

PARTILHE ESTE ARTIGO:

Jornal

Rádio

Artigos Recentes

Paíshá 13 minutos

Governo promete escola virtual em todo o território nacional

Reforçando que o Governo está comprometido em levar a escola virtual a todo o território, a ministra da Coesão Territorial,...

Mundohá 33 minutos

Covid-19: Motoristas vindos de Portugal obrigados a apresentar teste para entrar na Alemanha

A Alemanha passou a exigir, a todos os motoristas que tenham estado em Portugal, nos últimos 10 dias, a fazer...

Mundohá 1 hora

Covid-19 já matou quase 2,2 milhões de pessoas em todo o mundo

Segundo o balanço diário da agência France-Presse (AFP), a pandemia do novo coronavírus causou pelo menos 2.159.155 mortes no mundo...

Famalicãohá 2 horas

Homem desaparecido em Ribeirão foi encontrado 48 horas depois

Jorge Machado, que desapareceu em Ribeirão, na última segunda-feira, foi encontrado hoje, em Santo Tirso. Jorge Machado foi encontrado depois...

Mundohá 3 horas

Papa Francisco alerta que Holocausto pode voltar a acontecer

Assinalando hoje o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, o Papa Francisco alertou para o risco de voltar...

Paíshá 3 horas

Covid-19: Portugal já aceitou ajuda de outros 2 países no anonimato

Segundo uma notícia avançada pelo jornal Expresso, o Governo já terá pedido ajuda internacional para receber profissionais de saúde e...

Bragahá 4 horas

Ministério Público acusa adepto por dirigir insultos racistas a jogador do Vizela

O Ministério Público (MP) acusou um homem de ter dirigido insultos raciais a um jogador de futebol, em Vizela, chamando-lhe...

Famalicãohá 4 horas

ACIF e Famalicão Made In organizam Cimeira de Negócios em África

A Associação Comercial e Industrial de Famalicão (ACIF), em parceria com o Famalicão Made In, está a organizar uma participação...

Paíshá 4 horas

Teletrabalho: Mais tempo em frente ao computador e televisão aumentam cansaço ocular

A Sociedade Portuguesa de Oftalmologia reconheceu hoje que, com o teletrabalho, aumentaram as queixas de cansaço ocular, pressão nos olhos,...

Paíshá 4 horas

Estudo: Um terço dos inquiridos sofreu de violência doméstica pela 1.ª vez na pandemia

Quinze por cento dos inquiridos num estudo sobre violência doméstica em tempos de covid-19 reportou a ocorrência deste crime na...

Paíshá 16 horas

Homosexuais impedidos de dar sangue acusam IPS

Apesar de o Instituto do Sangue garantir que não questiona a orientação sexual, a ILGA Portugal tem recebido cerca de...

Mundohá 17 horas

Covid-19: Medicamento espanhol reduz quase totalmente a carga viral da infeção

Um medicamento espanhol testado em França e nos Estados Unidos demonstrou uma redução quase total da carga viral do novo...

Paíshá 17 horas

Hospital Amadora-Sintra transfere doentes após sobrecarga na rede de oxigénio

Uma notícia da CMTV dá conta que a rede de oxigénio do Hospital Amadora-Sintra atingiu o seu limite na noite...

Economiahá 18 horas

Covid-19: Mais de 22 mil empresas obrigadas a encerrar aderiram ao ‘lay-off’ simplificado

Mais de 22 mil empresas obrigadas a encerrar ou suspender a atividade devido ao novo confinamento aderiram ao ‘lay-off’ simplificado,...

Desportohá 19 horas

Guarda-redes Maltos Becker assina pelo FC Famalicão até ao final da temporada

A SAD do Futebol Clube de Famalicão informa ter chegado a acordo com o jogador Maltos Becker para a assinatura...

Paíshá 20 horas

Segurança Social disponibiliza atendimentos por videoconferência

A Segurança Social inicia hoje um projeto-piloto de atendimento por videoconferência através dos quais poderão ser tratadas questões relacionadas com...

Famalicãohá 21 horas

Famalicão: A oitava autarquia que mais dinheiro gastou com a pandemia em Portugal

Este artigo está também disponível em formato Podcast: Vila Nova de Famalicão foi o segundo município da região Norte e...

Paíshá 21 horas

Estado de Emergência: Marcelo nega, para já, necessidade de ajuda internacional

Embora exista disponibilidade da União Europeia, o Presidente da República afirmou hoje que não há neste instante razão que determine...

Paíshá 21 horas

Covid-19: PCP critica “prioridade excessiva” dos políticos na vacinação

Criticando hoje a “generalização excessiva” na prioridade da vacinação contra a covid-19 dada aos políticos o PCP insistiu que é...

Famalicãohá 22 horas

Registo Civil de Famalicão suspende agendamentos indeterminadamente

A Conservatória do Registo Civil de Famalicão suspedeu todos os agendamentos devido aos problemas causados pela pandemia da covid-19. Estes...

Arquivo

FAMA NAS REDES

Mais Vistos