Siga-nos nas redes

País

Mais de 17% dos portugueses encontram-se em risco de pobreza

Publicado

em

Mais de 12% da população portuguesa estava em 2019 numa situação de pobreza persistente e 17,2% em risco de pobreza, uma percentagem que disparava para mais de 43% sem apoios sociais do Estado, segundo um estudo hoje divulgado.

Os dados constam do relatório “Portugal, Balanço Social 2020 – Um retrato do país e dos efeitos da pandemia”, da faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa, a NOVA SBE.

O relatório foi produzido pela economista e professora da instituição, Susana Peralta, em coautoria com Bruno P. Carvalho e Mariana Esteves, e é hoje apresentado publicamente.

Numa primeira parte faz um retrato estatístico da situação socioeconómica das famílias centrado no período entre 2016 e 2019, mas focando-se sobretudo nos anos de 2018 e 2019.

O retrato estatístico tem por base os dados do Inquérito às Condições de Vida e Rendimento, aplicado em Portugal, anualmente, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), mas usado pelo Eurostat para fins de comparabilidade europeia de indicadores de coesão social.

Ressalvando a interrupção provocada pelo período de assistência externa a Portugal, o relatório aponta a tendência de queda da taxa de risco de pobreza no país ao longo da última década, mas a percentagem era ainda de 17,2% em 2019, acima da média da União Europeia a 27, mas seria muito superior sem apoios do Estado.

“As transferências sociais são importantes instrumentos para reduzir a pobreza. Em 2019, a proporção de pessoas em situação de pobreza, antes de transferências sociais, era de 43,4%”, aponta-se no relatório.

Em declarações à Lusa, Susana Peralta sublinhou a ligação da pobreza aos salários baixos, o que é a realidade em Portugal, assim como a relação com o mercado de trabalho.

De acordo com o relatório “os desempregados são o grupo com maior taxa de pobreza em 2019 (42%)” e “trabalhar a tempo inteiro também não é garantia de sair da situação de pobreza – 46% da população pobre vive em agregados onde os adultos trabalham mais de 85% do tempo, ou seja, praticamente a tempo inteiro”, acrescentando que além dos desempregados, a pobreza é também mais prevalente entre as famílias monoparentais e os indivíduos com níveis de escolaridade mais baixos”.

“Portugal sendo um país de salários baixos e com um nível de precariedade do mercado de trabalho dos mais elevados da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) faz com que as pessoas tenham relações com o mercado de trabalho que não a protegem da pobreza”, disse Susana Peralta.

A economista apontou o exemplo dos trabalhadores independentes, os chamados ‘recibos verdes’, e dos trabalhadores a tempo parcial como parte importante nos números da pobreza entre quem trabalha, auferindo rendimentos inferiores ao Salário Mínimo Nacional, um referencial de rendimentos acima do limiar da pobreza.

É preciso ainda ter em conta o peso de dependentes sem rendimentos no agregado familiar, como as crianças, e de desempregados, o que se reflete noutro indicador, o da intensidade laboral, que avalia o tempo de trabalho a tempo inteiro dos adultos num agregado familiar.

O relatório refere que “a proporção de agregados onde os adultos entre 18 e 59 anos trabalham menos de 20% do tempo, isto é, a percentagem de pessoas com muito baixa intensidade laboral aumentou entre 2008 e 2014. Neste ano atingiu um máximo de cerca de 12%, tendo regressado aos níveis pré-crise em 2019, quando se cifrou em cerca de 6%”.

O relatório retrata ainda a evolução da situação de pobreza persistente em Portugal: em 2019 era de 12,5% para a população em geral, de 11% para as crianças, de 8% para os trabalhadores e de mais de 33% para os desempregados.

Entre 2016 e 2019 quase 60% dos desempregados estiveram numa situação de pobreza pelo menos durante um ano, uma situação que afetou 36,5% de crianças e 25,1% de trabalhadores. No geral, a taxa fixou-se nos 31,2%.

A taxa de privação material, que mede a capacidade de as pessoas conseguirem fazer face a despesas inesperadas, de pagar uma semana de férias por ano fora de casa, ou conseguir manter a casa aquecida, entre outros indicadores, fixou-se em 2019 nos 15,1%, depois de já ter estado nos 23% na década anterior, em 2008. A taxa de privação material severa caiu, no mesmo período, de 9,7% para 5,6%.

“Entre 2008 e 2019 aumentou o número de pessoas que afirma não ter capacidade de assegurar o pagamento imediato de uma despesa sem recorrer a um empréstimo. Para a população em risco de pobreza este valor subiu de 47% para 64%”, adianta o relatório.

Aumentou ainda o hiato da pobreza, ou seja, a distância entre os rendimentos de um agregado familiar e o valor do limiar da pobreza, passando de 2,1% em 2008 para 2,3% em 2019. No ano passado o limiar de pobreza era de 6.014 euros anuais, mais 1.045 euros do que em 2008.

A pobreza tem reflexos no acesso e qualidade da saúde, com quase 25% das pessoas em situação de pobreza a avaliarem como má a sua saúde e a reportarem maiores dificuldades de acesso a cuidados de medicina dentária, não disponível no Serviço Nacional de Saúde.

As carências habitacionais entre a população pobre eram em 2019 de 26%, o dobro face à população geral. São também os mais pobres os que mais vivem em alojamentos sobrelotados (18%) e os que mais consideram excessivos os custos com a habitação: “38% dos agregados pobres em Portugal têm encargos com a habitação que excedem 40% do rendimento do agregado (face a 16% da população total)”.

O relatório aponta ainda que a pobreza cria desigualdades na participação cívica e democrática, o que “pode reduzir a representatividade dos interesses dos cidadãos nas escolhas políticas” acrescentando que “a proporção de pessoas mais pobres que não manifesta, ou manifesta pouco, interesse por política é de 60%, o dobro da proporção entre os mais ricos”.

PARTILHE ESTE ARTIGO:

Jornal

Rádio

Artigos Recentes

Famalicãohá 57 minutos

Instalações do Clube Desportivo de Vilarinho vandalizadas. GNR investiga crime

As instalações do Clube Desportivo de Vilarinho, de Vilarinho das Cambas, foram vandalizadas há cerca de uma semana, de acordo...

Famalicãohá 2 horas

Famalicão: Miradouro de Cruz com vista sobre o Vale do Rio Pelhe está em fase de construção

O presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, divulgou, esta terça-feira, algumas fotos que mostram a evolução das obras de...

Paíshá 3 horas

Ministra afirma que é ainda “prematuro” comentar interrupção da vacina Janssen nos EUA

Marta Temido, ministra da Saúde, afirmou, esta terça-feira, ser ainda muito cedo para comentar a recomendação hoje emitida pelas autoridades...

Paíshá 4 horas

Covid-19: Mais 5 mortos e 408 novos infetados nas últimas 24 horas

Portugal contabiliza hoje mais 5 óbitos provocados pela pandemia e 408 novos casos de infeção, segundo o relatório diário emitido...

Famalicãohá 5 horas

Famalicão: Despiste rodoviário provoca um ferido ao final desta manhã em Castelões

Uma pessoa ficou ferida ao final da manhã desta terça-feira, em Castelões, depois de um despiste rodoviário. Fonte dos bombeiros...

Barceloshá 5 horas

Homem soterrado esta segunda-feira em Barcelos tinha 50 anos, era casado e deixa um filho menor

A empresa Águas de Barcelos veio, esta terça-feira, lamentar a morte de António José Martins Ferreira, de 50 anos, da...

Paíshá 6 horas

Juízes pedem “punição mais eficaz” para para titulares de funções públicas que ocultem riqueza

 A Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) entregou aos grupos parlamentares uma proposta de alteração à lei com vista a...

Famalicãohá 6 horas

Famalicão: Estão abertas as candidaturas aos Selos Visão’25

A iniciativa promovida pela Câmara Municipal, Selos Famalicão Visão’25, já abriu as suas inscrições, visando distinguir os projetos que mais...

Famalicãohá 7 horas

Famalicão: Saiba onde vão estar os radares da PSP durante o mês de abril

A PSP já divulgou, esta terça-feira, a localização dos radares para controlo de velocidade, em Famalicão e concelhos adjacentes. No...

Famalicãohá 7 horas

Famalicão: Caso de covid-19 numa criança encerra Centro Social de Oliveira Santa Maria

O infantário do Centro Social Paroquial de Oliveira Santa Maria, Famalicão, está encerrado desde ontem, segunda-feira, após uma criança que...

Famalicãohá 8 horas

Homem morre esta manhã no apeadeiro de Barrimau

Um homem com 55 anos, residente em Famalicão, faleceu esta manhã no apeadeiro de Barrimau, em Calendário. O indivíduo foi...

Bragahá 19 horas

Homem queimado na cara com tocha por usar camisola do Benfica, em Braga

Um ficou ferido, este domingo, no centro de Braga, depois de uma agressão motivada por rivalidade clubística. De acordo com...

Famalicãohá 20 horas

Câmara de Famalicão concede apoios à juventude e bombeiros voluntários

Os famalicenses com idades entre os 18 e os 35 anos, residentes no concelho há pelo menos três anos, vão...

Barceloshá 21 horas

Homem morre soterrado em Barcelos após derrocada de terras na estrada Nacional 206

Um homem com cerca de 50 anos faleceu, esta tarde, em Barcelos, depois e ter ficado soterrado numa vala, onde...

Famalicãohá 23 horas

Grupo de artistas de Famalicão leva “Democracia, os Filhos dos anos 90 e a Tecnologia”, aos palcos de todo o país

A estrutura de criação Momento – Artistas Independentes, de Famalicão, estreia neste mês o primeiro espetáculo de uma trilogia sobre...

Famalicãohá 1 dia

Famalicão: Mulher sofre queimaduras após cair na casa de banho com água quente ligada

Uma mulher com cerca de 57 anos sofreu queimaduras depois de um acidente na banheira da sua própria habitação, na...

Famalicãohá 1 dia

Incêndio em Arnoso Santa Maria mobiliza bombeiros para zona florestal

Um incêndio deflagrou na tarde desta segunda-feira, numa zona de mato, nas proximidades da Rua Alto do Quintela, em Arnoso...

Paíshá 1 dia

Português de 18 anos surfou a maior onda de sempre na Nazaré e quer entrar para o Guiness

O jovem surfista português António Laureano. de apenas 18 anos, vai candidatar-se ao Guinness World Record depois de ter surfado...

Paíshá 1 dia

Covid-19: Índice de transmissibilidade (Rt) subiu hoje para 1,04

 O índice de transmissibilidade (Rt) nacional do novo coronavírus em Portugal subiu hoje para 1,04 e a incidência de casos...

Sociedadehá 1 dia

Grupo Desportivo do Louro anuncia retorno às competições da Divisão de Honra e 1.ª Divisão da AF de Braga

O Grupo Desportivo do Louro anunciou, esta segunda-feira, o seu retorno às competições na Divisão de Honra e Primeira Divisão...

Arquivo

FAMA NAS REDES

Mais Vistos

ANUNCIE NESTE ESPAÇO > ligue +351252308147 ou WhatsApp para +351963964191