Siga-nos nas redes

Economia

Falta de mão de obra: Ofertas atrativas de emprego e escassez de imigrantes explicam problema

Publicado

em

A falta de trabalhadores imigrantes, a ausência de ofertas de emprego atrativas e o envelhecimento da população ativa explicam a escassez de mão de obra em setores de atividade que começam a recuperar, dizem economistas consultados pela agência Lusa.

Apesar de a taxa de desemprego estar nos 6,1%, o nível mais baixo dos últimos anos, e de o emprego estar a recuperar após a crise pandémica, há sinais de escassez de mão de obra em vários setores de atividade, como o turismo, a restauração ou a construção.

Segundo João Cerejeira, professor da Faculdade de Economia da Universidade do Minho, a escassez de mão de obra pode ser explicada pelos fluxos internacionais de trabalhadores imigrantes, que ficaram “praticamente congelados” devido à pandemia de covid-19.

“Há uma dificuldade porque ficaram praticamente suspensos os fluxos internacionais de trabalhadores, o que levou a uma queda da mão de obra imigrante, que habitualmente viria para ocupações com salários mais baixos e menos procuradas pelos trabalhadores portugueses”, afirma o economista.

O professor da Universidade do Minho refere que, além da “menor entrada de imigrantes”, sobretudo em setores como a construção, também o envelhecimento da população contribui para a escassez de trabalhadores que tem sido referida pelas empresas.

“A população mais jovem é mais qualificada do que a mais velha e, portanto, não procura empregos com níveis de qualificação mais baixos”, afirma João Cerejeira.

O diretor da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, José Reis, converge com esta posição e aponta que, além, da imigração, “há alguma população ativa que é colocada fora do mercado de trabalho durante as crises”.

“Em 2020, a taxa de subutilização do trabalho era de 14%, muito acima da taxa de desemprego, e superior em dois pontos à de 2019”, refere José Reis.

A subutilização do trabalho é um indicador que agrega a população desempregada, o subemprego de trabalhadores a tempo parcial, os inativos à procura de emprego, mas não disponíveis, e os inativos disponíveis, mas que não procuram emprego.

Também o ex-presidente do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) Francisco Madelino diz que a pandemia “implicou o regresso de imigrantes”, nomeadamente para o Brasil, contribuindo para a escassez de mão de obra em setores como a construção civil ou o turismo interno, atividades que estão a dar sinais de retoma.

Francisco Madelino, que é professor no ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, indica igualmente que outro fator a ter em conta é “a menor entrada de jovens” e o envelhecimento do mercado de trabalho.

Outro fator que pode explicar a falta de mão de obra é, segundo afirma por seu lado o ex-secretário de Estado do Emprego Pedro Martins, a falta de ofertas atrativas de emprego para as pessoas que ficaram desempregadas durante a pandemia.

Para Pedro Martins, que é professor na Nova School of Business and Economics, “muitos trabalhadores ainda estão a receber subsídio de desemprego”, uma vez que “as durações máximas destes subsídios tendem a ser entre 12 e 24 meses”.

“Esses trabalhadores não estarão, em grande parte dos casos, interessados nas condições de trabalho oferecidas”, afirma o ex-secretário de Estado do governo de Pedro Passos Coelho.

“Outro fator relacionado serão as preocupações com o risco de infeção, no local de trabalho ou nos transportes públicos, mesmo entre os vacinados”, acrescenta Pedro Martins.

PARTILHE ESTE ARTIGO:

Jornal

Rádio

Artigos Recentes

Paíshá 17 horas

Mais 15 mortos e 5.286 casos de Covid-19, internamentos descem

Portugal regista esta quarta-feira mais 15 mortes e 5.286 novos casos de Covid-19, indica o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS)....

Regiãohá 17 horas

Chuva e vento forte derruba parte da decoração natalícia em Viana

A chuva e o vento forte que se fez sentir ontem ao final da tarde e noite derrubou uma estrutura...

Paíshá 17 horas

Vacinação Covid em crianças. “Provavelmente vamos começar com os 11 anos”, diz António Costa

O primeiro-ministro anunciou, nesta quarta-feira, que a vacinação de crianças deverá arrancar na faixa etária dos 11 anos. “Provavelmente, vamos...

Paíshá 18 horas

Chuva e vento forte derruba parte da decoração natalícia em Viana

A chuva e o vento forte que se fez sentir ontem ao final da tarde e noite derrubou uma estrutura...

Paíshá 20 horas

Portugal: Idade da reforma deve chegar aos 68 anos até 2050

A idade da reforma em Portugal deverá aumentar em cerca de dois anos até 2050, atingindo nessa altura 68,4 anos,...

Famalicãohá 21 horas

Famalicão: Escola Camilo celebra Natal com decoração em crochê

Todos foram convidados a participar. Este ano a decoração de Natal na Escola Secundária Camilo Castelo Branco, no centro da...

Paíshá 22 horas

Estradas na Serra da Estrela cortadas devido à queda de neve

As estradas dos Piornos até à Torre e da Torre até ao cruzamento de Loriga, na serra da Estrela, estão...

Famalicãohá 22 horas

Vacinação de crianças deverá arrancar já na próxima semana

Na próxima sexta-feira a Direção Geral da Saúde (DGS) vai anunciar o calendário de vacinação contra covid-19 de crianças dos...

Mundohá 23 horas

“Não há razão para duvidar.” Vacinas são eficazes contra Ómicron, diz OMS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) revelou esta terça-feira que as vacinas são eficazes contra a nova variante Ómicron da...

Mundohá 23 horas

Tempo, pandemia e TikTok. Os temas mais pesquisados no Google em Portugal em 2021

Com o ano a terminar, o tempo é de balanços. Apesar de a pandemia ainda ter feito parte do dia...

Famalicãohá 1 dia

5G chega a Famalicão: já se fazem os primeiros testes de velocidade na rede móvel

Se já possui um dispositivo que suporta a recepção da rede 5G por certo já se deu conta que em...

Paíshá 2 dias

A lei não “apanhou” Rendeiro ou Salgado mas “apanhou” 3 jovens a roubar pinhas -redes sociais

A GNR informou recentemente a população sobre a proibição da apanha de Pinhas, mesmo que caídas no chão, até ao...

Desportohá 2 dias

Famalicão: Kickboxer Sofia Oliveira vence o ‘WAKO K1’ World Grand Prix

A kickboxer famalicense Sofia Oliveira marcou presença no WAKO K1 WORLD GRAND PRIX que se realizou em Praga, República Checa,...

Famalicãohá 2 dias

Famalicão: Duas pessoas feridas após colisão na A3 na freguesia de Cruz

Duas pessoas ficaram feridas, durante a tarde desta terça-feira, após uma colisão rodoviária na A3, junto ao nó da freguesia...

Paíshá 2 dias

Militares da GNR atingem e matam homem barricado. Leia aqui o comunicado oficial

A GNR de Setúbal encontrou-se hoje numa situação de tiroteio, com um suspeito de 62 anos, que se havia barricado...

Famalicãohá 2 dias

Impasse resolvido: Delães já tem novo executivo autárquico

Está empossado o novo executivo da Junta de Freguesia de Delães, depois do impasse verificado em outubro aquando da sessão...

Paíshá 2 dias

Covid-19: DGS recomenda vacinação de crianças entre os 5 e os 11 anos

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recomendou hoje a vacinação das crianças entre os 5 e os 11 anos, com prioridade...

Famalicãohá 2 dias

Covid-19: Mais 21 mortos e 3417 novos infetados nas últimas 24 horas

Portugal contabiliza hoje mais 21 óbitos provocados pela pandemia e 3417 novos casos de infeção, segundo o relatório diário emitido...

Famalicãohá 2 dias

Famalicão: Mais uma descarga poluente no rio captada em Mogege e Pousada de Saramagos

Um vídeo, captado por um leitor da Fama TV, durante a manhã desta terça-feira mostra, uma descarga poluente no Rio...

Guimarãeshá 2 dias

Jovem de 19 anos gravemente ferida após colisão com poste e queda de 3 metros em Guimarães

Uma jovem e 19 anos ficou gravemente ferida, durante a manhã desta terça-feira, após um violento despiste, ao volante de...

Arquivo

FAMA NAS REDES