Siga-nos nas redes
“E-REDES”

País

Covid-19: Estado de emergência entre 09 e 23 de novembro decidido amanhã

Publicado

em

O presidente da Assembleia da República anunciou hoje o agendamento para sexta-feira, às 16:00, de uma reunião plenária para o parlamento votar o projeto de decreto presidencial de estado de emergência entre 09 e 23 de novembro.

“Depois de ouvido o Governo, que deu o seu acordo, o Presidente da República [Marcelo Rebelo de Sousa] enviou à Assembleia da República, para autorização, o projeto de decreto presidencial através do qual se pretende venha a ser decretado o estado de emergência entre as 00:00 do dia 09 de novembro e as 23:59 de 23 de novembro – sem prejuízo de eventuais renovações, nos termos da lei”, lê-se na nota publicada na pagina oficial do parlamento na Internet.

Na mesma nota, refere-se que o projeto de decreto presidencial de estado emergência tem fundamento “na verificação de uma situação de calamidade pública e na necessidade de se adotarem medidas de contenção da propagação da pandemia de covid-19”.

“Reunida em sessão plenária, a Assembleia da República procederá amanhã [sexta-feira], 6 de novembro, pelas 16:00, ao debate do pedido de autorização de declaração do estado de emergência, com intervenções do Governo, dos grupos parlamentares, dos deputados únicos representantes de partido e das deputadas não inscritas”, acrescenta-se.

Na quarta-feira, na sequência de uma reunião da conferência de líderes, a Assembleia da República decidiu, “por consenso geral”, realizar um plenário para debate e votação de uma eventual declaração do estado de emergência, fazendo então depender a data e hora dessa reunião plenária do momento em que chegasse ao parlamento o projeto de decreto presidencial.

De acordo com a porta-voz da conferência de líderes, a socialista Maria da Luz Rosinha, o agendamento do plenário para debater o novo estado de emergência seria feito “de imediato” pelo presidente da Assembleia da República logo que fosse recebida a proposta de decreto por parte do chefe de Estado.

Por outro lado, porém, Ferro Rodrigues também salientou que os deputados deveriam ter um espaço de 24 horas para apreciarem o diploma antes do início do debate em plenário.

Na passada segunda-feira, o primeiro-ministro, António Costa, pediu ao Presidente da República a declaração do estado de emergência, de forma “preventiva”, para fazer face aos efeitos da pandemia de covid-19 e eliminar dúvidas jurídicas sobre a ação do Governo.

A Constituição estabelece que a declaração do estado de emergência no todo ou em parte do território nacional é uma competência do Presidente da República, mas depende de audição do Governo e de autorização do parlamento.

No projeto de decreto, Marcelo Rebelo de Sousa propõe à Assembleia da República um “estado de emergência de âmbito limitado”, para que o Governo possa “impor restrições à circulação em certos locais em períodos determinados, em particular nos municípios de maior risco” e “a utilização, se necessário e preferencialmente por acordo, de meios de saúde dos setores privado, social e cooperativo, com a devida compensação”.

São também permitidas “a mobilização de trabalhadores, bem como das Forças Armadas e de segurança, para o reforço das autoridades de saúde nos inquéritos epidemiológicos e de rastreio; e a possibilidade de medição de temperatura corporal, por meios não invasivos, e de imposição de testes no acesso a certos serviços e equipamentos”.

O estado de emergência já vigorou em Portugal durante esta pandemia, entre 19 de março e 02 de maio, com duas renovações, por um total de 45 dias.

Na exposição de motivos do diploma que seguiu para o parlamento, Marcelo Rebelo de Sousa defende que “a evolução da pandemia de covid-19, assim como as lições dela retiradas, justificam garantias reforçadas da segurança jurídica de medidas adotadas ou a adotar pelas autoridades competentes para a correspondente prevenção e resposta em domínios como os da convocação de recursos humanos para rastreio, do controlo do estado de saúde das pessoas, da liberdade de deslocação e da utilização de meios do setor privado e social ou cooperativo”.

“Essa garantia reforçada exige a declaração de um Estado de Emergência de âmbito muito limitado e de efeitos largamente preventivos”, defende.

PARTILHE ESTE ARTIGO:

Jornal

Rádio

Artigos Recentes

Paíshá 2 horas

Quase 838 mil vacinas já foram administradas em Portugal

O Ministério da Saúde avançou hoje que, em Portugal, já foram administradas 837.887 vacinas contra a covid-19. A vacinação começou...

Paíshá 2 horas

100 negacionistas protestam contra o uso obrigatório de máscara

São negacionistas da pandemia, afirmam que esta “não é real”, e protestam hoje contra o uso obrigatório de máscara, avança...

Paíshá 3 horas

Portugueses e espanhóis protestam pela abertura da fronteira de Bemposta

A fronteira de Bemposta, no concelho de Mogadouro, distrito de Bragança, az a ligação do Planalto Mirandês, através da localidade...

Paíshá 3 horas

Centros de saúde com decréscimo de 75% de consultas Covid-19

Dados avançados hoje pelo jornal Público revelam que as consultas a utentes infetados Covid-19 sofreram um decréscimo de 75%, o...

Paíshá 4 horas

Covid-19: 33 mortes e 1071 novos casos

De acordo com o Boletim Epidemiológico da Direção Geral de Saúde, registam-se, nas últimas 24 horas, 1071 novos casos confirmados...

Paíshá 4 horas

AstraZeneca pode começar a ser administrada a maiores de 65 anos

O chefe da Comissão Permanente para a Vacinação na Alemanha anunciou que vai alterar a recomendação que limitava o uso...

Paíshá 5 horas

GNR deteve 420 pessoas na última semana

No âmbito de operações de combate à criminalidade e de fiscalização rodoviária, a GNR deteve 420 pessoas na última semana....

Sociedadehá 6 horas

Nas últimas 24 horas, Açores não registou nenhum caso de Covid-19

O Arquipélago dos Açores já quase não regista casos de Covid-19. Aliás, esta sexta feira não houve nenhum caso confirmado,...

Regiãohá 6 horas

Fafe: Assalto à mão armada numa área de serviço na A7

Quatro homens encapuzados assaltaram, esta madrugada de sábado, pelas 5 da manhã, uma área de serviço da A7, em Fafe,...

Paíshá 7 horas

Covid-19: 140 pessoas impedidas de viajar a partir Porto, Lisboa e Faro

Entre 31 de janeiro e 25 de fevereiro, 140 pessoas foram impedidas de viajar pela PSP, revala o ministério da...

Famalicãohá 7 horas

Famalicão: Janeiro com 4742 desempregados. Mais 1330 que no ano anterior

O concelho de Famalicão registou no passado mês de janeiro um total de 4 742 desempregados inscritos no centro de...

Paíshá 8 horas

Preço dos combustíveis volta a subir esta segunda feira

Prevê-se que tanto o gasóleo como a gasolina aumentem 1 cêntimo por litro já a partir da próxima segunda feira....

Paíshá 8 horas

Porto: Incêndio esta madrugada deixa 11 pessoas sem casa

Onze pessoas ficaram desalojadas, esta madruga, num incêndio no Porto, mais concretamente na Rua Visconde de Setúbal, avança o Jornal...

Guimarãeshá 9 horas

Guimarães: Trânsito condicionado na variante de Creixomil

O trânsito na na variante de Creixomil, sentido nó da circular urbana (Hospital) – rotunda de Silvares, em Guimarães, estará...

Paíshá 9 horas

IHMT preocupado com produção clandestina de vacinas

Perante a iminente realidade da produção de vacinas no mercado clandestino com o objetivo de fazer face aos atrasos e...

Paíshá 10 horas

Óbitos por Covid-19 representam menos 25 mil anos de vida em Portugal

Um estudo levado a cabo pela Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) verificou que a mortalidade prematura causada pela covid-19...

Paíshá 20 horas

António Costa alerta para “ilusão” de que “o pior já está totalmente ultrapassado”

O primeiro-ministro avisou hoje que se vive neste momento “uma fase perigosa” e de “ilusão” ao pensar-se que “o pior...

Paíshá 21 horas

Apostador português “saca” 2 milhões e meio no Euromilhões desta sexta-feira

Um apostador portugues venceu esta sexta-feira o 2.º prémio do Euromilhões, arrecadando quase 2 milhões e meio de euros, ao...

Paíshá 22 horas

Covid-19: Plano de desconfinamento será apresentado no dia 11 de março

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou hoje que o Governo apresentará no dia 11 de março o plano de desconfinamento, adiantando...

Paíshá 23 horas

António Costa considera natural iniciar processo de desconfinamento pelas escolas

O primeiro-ministro, António Costa, considerou hoje natural que o desconfinamento comece pelas escolas, lembrando que Governo “resistiu o mais que...

Arquivo

FAMA NAS REDES

Mais Vistos

ANUNCIE NESTE ESPAÇO > ligue +351252308147 ou WhatsApp para +351963964191