Siga-nos nas redes

Mundo

Mensagens do WhatsApp vão apagar-se automaticamente após 7 dias

Publicado

em

A aplicação WhatsApp vai implementar um novo mecanismo que permite a remoção automática de mensagens, sete dias após o envio destas.

Esta opção, denominada “disappearing messages”, terá que ser ativada pelos utilizadores e irá apenas aplicar-se às mensagens enviadas após a entrada em funcionamento desta utilidade.

Para os responsáveis este período de sete dias foi implementado porque “porque acreditamos que as conversas ao não serem permanentes oferecem alguma paz de espírito, mas mantêm-se práticas para que o utilizador não se esqueça sobre o que está a conversar”.

De lembrar será que os proprietários desta aplicação são os mesmos responsáveis pelo Facebook e que esta nova opção vem no seguimento de um serviço de compras criado em cooperação pelas duas plataformas.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Continuar a ler
Publicidade Publicidade

Mundo

COVID-19: Três medicamentos anti-histamínicos mostraram alguma eficácia a inibir a infeção

Publicado

em

Por

Os resultados preliminares revelam que o uso da hidroxizina, da difenidramina e da azelastina está associado a “uma probabilidade reduzida de dar positivo no teste ao SARS-CoV-2, o vírus responsável pela covid-19”

Três medicamentos anti-histamínicos mostraram alguma eficácia a inibir a infeção de células pelo novo coronavírus responsável pela covid-19, segundo os resultados preliminares de um estudo da Universidade da Florida divulgado este sábado.

As descobertas sobre os efeitos de um grupo de anti-histamínicos existentes no mercado foram alcançadas ao analisar amostras em laboratório e numa análise detalhada de quase 250 mil registos médicos de pacientes da Califórnia, explica uma nota da Universidade de Saúde da Florida.

Os dados do estudo, que tem como investigadora principal Leah Reznikov, professora da Universidade da Florida, podem apoiar o lançamento de um ensaio clínico aleatório e controlado para determinar se o uso de anti-histamínicos específicos “pode tratar ou mesmo prevenir a covid-19 em humanos”, diz o comunicado.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Continuar a ler

Mundo

Poluição: Emissões de carbono da Amazon são superiores à totalidade dos países da União Europeia

Publicado

em

Por

Um estudo do Instituto Nacional de Estatística levado a cabo pelo governo espanhol concluiu que a taxa de emissão de carbono da empresa de vendas online Amazon foi superior à totalidade dos 27 países que constituem a União Europeia

44,4 milhões de toneladas de CO2 são atribuídas a Amazon que, sem dúvida, foram aumentadas pelo crescimento significativo das vendas online nos últimos meses.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Continuar a ler

Mundo

Organização Mundial de Saúde pondera criar “certificado eletrónico de vacinação” contra a covid-19

Publicado

em

Por

Numa altura em que o primeiro país europeu (Reino Unido) aprovou uma vacina contra a covid-19, a OMS/Europa está a ponderar a criação de um certificado eletrónico de vacinação, anunciou hoje a instituição.

“Estamos a acompanhar de perto o uso de tecnologia na luta contra a covid-19 e a trabalhar com os estados-membros naquilo que poderia ser o certificado eletrónico de vacinação”, adiantou um especialista da filial da Organização Mundial de Saúde (OMS) na Europa, Siddhartha Datta, numa conferência de imprensa ‘online’.

Segundo o mesmo especialista, tal atestado ou certificação, que permitiria identificar e monitorizar as pessoas vacinadas, não está finalizado e deverá ser elaborado de acordo com as legislações nacionais.

“Não é um passaporte de imunidade, supostamente para garantir que o seu titular está protegido contra a doença. Não recomendamos passaportes de imunidade”, enfatizou, por seu lado, Catherine Smallwood, responsável da OMS para situações de emergência.

Na quarta-feira, o Reino Unido foi o primeiro país do mundo a aprovar a vacina Pfizer-BioNTech contra a coronavírus, que a Agência Europeia de Medicamentos deve votar até 29 de dezembro.

A zona europeia da OMS, que inclui 53 países, incluindo a Rússia, registou mais de 19,3 milhões de casos e mais de 433 mil mortes desde o início da pandemia, indica a tabela de vigilância da organização. Destes, 1,5 milhões de casos foram registados nos últimos sete dias.

“Se verificamos uma ligeira diminuição do número de casos na Europa Ocidental, isso não significa que a região europeia da OMS como um todo esteja a enfrentar uma melhoria da situação epidemiológica (…), os países mais afetados são agora o centro e o sul da Europa”, apontou o chefe da OMS/Europa, Hans Kluge, apelando aos governos europeus para que “não baixem a guarda” e a prevenção.

No caso de vir a ocorrer uma queda nos índices de contaminação, Hans Kluge defende que os estados devem aproveitar o momento para apostar no “fortalecimento da infraestrutura de saúde pública”, preparando assim o sistema médico-sanitário “para a próxima vaga”.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.495.205 mortos resultantes de mais de 64,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 4.724 pessoas dos 307.618 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Continuar a ler

jornal opinião pública

fama rádio

Artigos recentes

Arquivo

FAMA NAS REDES

Mais vistos

anuncie neste espaço > ligue +351252308147