Siga-nos nas redes

Região

Covid-19: Número de casos diários está a “abrandar” na região Norte

Publicado

em

O número de casos diários de infeção pelo novo coronavírus na região Norte está a “abrandar”, afirmou hoje um especialista da Universidade do Porto, alertando, contudo, que a incidência “ultrapassa quatro vezes” o limite estipulado por 100 mil habitantes.

Em declarações à agência Lusa, Óscar Felgueiras, matemático especialista em epidemiologia da Universidade do Porto, explicou hoje que os modelos matemáticos apontam para uma “estabilização na ordem dos 3.000 casos diários para a região Norte” nesta e na próxima semana.

“O cenário central prevê um valor médio próximo de 3.000 casos diários na região Norte e com eventual possibilidade de começar a haver uma descida no número de casos na próxima semana”, sublinhou, considerando “cedo para avaliar” se o “abrandamento no crescimento” é reflexo das medidas implementadas.

“Não é totalmente óbvia a associação de entrada em vigor das medidas com o efeito, mas eventualmente o comportamento das pessoas pode ter mudado de algum modo”, afirmou.

Apesar de ser ainda necessária uma “consolidação e avaliação dos dados”, os modelos estatísticos indicam que o “pico de infecciosidade já poderá ter passado”, isto é, que o momento com o “maior número de início de sintomas na região, eventualmente, já terá passado”.

“É arriscado fazer uma afirmação taxativa, mas o modelo que tenho seguido diz-me que o pico de infecciosidade já terá passado, mas ainda está em consolidação. Só daqui a uma semana é que será possível determinar se houve ou não esse pico e quando foi”, esclareceu.

Embora o cenário indique alguma estabilização do número de casos de infeção pelo novo coronavírus, que provoca a covid-19, a “pressão sobre o sistema hospitalar é elevadíssima”.

“O que se espera nestas duas semanas é que a pressão sobre o sistema hospitalar seja máxima, nunca tivemos com os hospitais tão pressionados quanto agora (…). Nesse sentido, mesmo num cenário de eventual estabilização, poderão justificar-se medidas adicionais”, referiu o especialista, advertindo que a incidência na região é “elevadíssima”.

“O Norte está com uma incidência elevadíssima, superior a 1.000 casos por 100 mil habitantes em 14 dias e que é relativamente ao limite que impuseram para as limitações de concelhos [240 casos por 100 mil habitantes em 14 dias] quatro vezes superior”, acrescentou.

Segundo Óscar Felgueiras, os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) indicam que a incidência média de casos no Norte é de 1.042 por 100 mil habitantes, na região de Lisboa e Vale do Tejo de 446 casos, com a média nacional a fixar-se nos 610 casos por 100 mil habitantes em 14 dias.

À Lusa, o especialista afirmou que “são mais de 20 os concelhos na região” cuja incidência ultrapassa quatro vezes o limite estipulado pelo Governo e que tal é “motivo de preocupação”.

“É óbvio que no Norte há uma incidência fortíssima e que é motivo de preocupação, mesmo que se consiga estabilizar a situação. Se tivéssemos num patamar mais baixo, esta estabilização seria uma boa notícia, mas tendo em conta a elevada incidência e a consequência que isso tem na afluência aos serviços de saúde isto não é sustentável e tem de haver um travão”, assegurou, lembrando, contudo, que o “travão não vai atuar tão rápido” quanto o desejado.

“Temos de ter consciência de que o travão ao ser colocado não vai atuar tão rápido, ou seja, tivemos uma subida [de casos] muito rápida, mas a descida não vai ser tão rápida”, sublinhou.

A par da incidência, existe ainda outro fator que “não é reconfortante” para a região Norte: “a positividade dos testes de diagnóstico que ronda os 20%”.

“Numa situação em que a positividade é tão elevada, significa que não há deteção de muitos casos, especialmente dos assintomáticos, que podem não ser muito preocupantes por si só, mas que têm potencial para transmitir e fazer propagar o vírus”, salientou.

 Portugal contabiliza pelo menos 3.021 mortos associados à covid-19 em 187.237 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

PARTILHE ESTE ARTIGO:

Braga

Hospital de Braga tem 100 doentes internados, 25 nos cuidados intensivos

Publicado

em

Por

O Hospital de Braga tem cerca de 100 doentes Covid-19 internados, 25 nos cuidados intensivos, revelou o diretor clínico Jorge Marques ao Diário do Minho.

Este admitiu ainda que “houve um aumento no mês de novembro de doentes covid-19, quer críticos, quer aqueles doentes classificados como moderados” mas que “na última semana a situação estabilizou”, esclareceu o profissional à mesma fonte.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Continuar a ler

Economia

ASAE apreende artigos contrafeitos no norte no valor de 1.5 milhões de euros

Publicado

em

Por

Este sábado foi anunciada pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) uma apreensão de 288.000 artigos contrafeitos que totalizou 1,5 milhões de euros. Este é o resultado de oito fiscalizações nos concelhos de Matosinhos, Fafe, Esposende, Santarém, Vila do Conde e Vizela, levadas a cabo nas últimas semanas no âmbito do combate à contrafação.

Entre os 288.000 artigos, encontravam-se peças de vestuário, máscaras, óculos de sol, relógios, perfumes, diversos artigos de marroquinaria, etiquetas (cartonadas e têxteis) e botões com marcas apensas.

De acordo com a ASAE, os mandados foram executados no âmbito de quatro inquéritos que correm trâmites nas respetivas comarcas, tendo ainda sido instaurados cinco novos processos-crime por contrafação e venda ou ocultação de produtos contrafeitos. Foram ainda constituídos quatro arguidos, alguns dos quais com histórico reincidente na prática de crime, tendo sido sujeitos à medida de coação de termo de identidade e residência.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Continuar a ler

Braga

Sortudo de Braga acabou de ganhar um “M1lhão”

Publicado

em

Por

Um apostador de Braga do M1lhão, prémio agregado ao Euromilhões, foi o feliz contemplado desta sexta-feira.

De acordo com o jornal O Minho, este apostador terá registado o seu boletim no quiosque Atrevo na Sorte, em Lamaçães.

O proprietário deste quiosque, que registou a aposta vencedora, confirmou que já foi contactado pelo “departamento de jogos da Santa Casa a indicar que o M1lhão saiu no nosso estabelecimento”.

De destacar será o facto de este mesmo quiosque ter sorteado também 200 mil euros numa aposta de Euromilhões.

A chave da sorte desta semana do Euromilhões foi: 2-5-8-14 -16 , com as estrelas 8 e 9.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Continuar a ler

jornal opinião pública

fama rádio

Artigos recentes

Arquivo

FAMA NAS REDES

Mais vistos