Siga-nos nas redes

Região

IPO do Porto totaliza 7 infetados em surto de covid-19

Publicado

em

Cinco doentes e dois profissionais de saúde do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto testaram positivo à covid-19, estando em “isolamento e com todas as medidas de segurança necessárias para este tipo de situação”, revelou hoje a instituição.

Numa resposta escrita enviada à agência Lusa, o IPO do Porto refere que “foram identificados cinco doentes e dois profissionais de saúde positivos para covid-19, todos eles relacionados com o piso 08 de internamento do Edifício A [cirurgia]”.

Na nota, que é assinada pelo conselho de administração, o IPO do Porto especifica que “o primeiro caso foi detetado ontem [quinta-feira] num doente que revelou febre e sintomas respiratórios suspeitos”.

Já “um segundo doente internado nesse piso foi testado no contexto de atuação de rotina como preparação para procedimento diagnóstico”.

“Tendo ambos os testes sido positivos para covid-19 e tratando-se de doentes do mesmo piso, foi de imediato decidido testar todos os doentes, assim como os profissionais com os quais tinham contactado, em estreita colaboração entre a Comissão de Controlo de Infeção (GCL-PPCIRA) e o Gabinete de Medicina do Trabalho”, descreve a instituição.

Na sequência dessa testagem foram identificados os casos de mais três doentes e dois profissionais.

“Estão em curso as restantes análises a doentes e profissionais do referido piso”, acrescenta o IPO, garantindo que “este grupo de doentes encontra-se em isolamento com todas as medidas de segurança necessárias preconizadas para este tipo de situação”.

O IPO do Porto acrescenta que “já estão a decorrer os procedimentos de transferência de doentes para unidades hospitalares da área de residência, onde serão acompanhados até reunirem de novo condições para continuar o seu tratamento ou acompanhamento no IPO do Porto” e que “está em curso a averiguação dos potenciais elos de ligação entre os casos detetados, de forma a identificar a origem deste surto”.

Sublinhando, ainda, que “a identificação destes casos resulta da estratégia ativa e permanente de atenção à pandemia de covid-19 e às medidas implementadas desde o início para garantir a segurança de doentes e de profissionais”, o instituto frisa que “continuará a garantir as melhores práticas clínicas para os seus doentes, os quais devem manter a confiança na competência e dedicação dos profissionais nesta situação de pandemia”.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,3 milhões de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 3.762 em Portugal.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

PARTILHE ESTE ARTIGO:

Desporto

Veja o vídeo: O ultramaratonista vimaranense Vítor Rodrigues bate recorde

Publicado

em

Por

O ultramaratonista Vítor Rodrigues, do Vitória de Guimarães, tornou-se este sábado no português com maior distância percorrida em pista durante 24 horas, com a marca de 251,6 quilómetros, anunciou o clube nas páginas oficiais das redes sociais.

O atleta obteve o registo num percurso integralmente realizado na Pista de Atletismo Gémeos Castro, em Guimarães, entre as 09h00 de sexta-feira e as 09h00 deste sábado.

A melhor marca portuguesa até agora era de 236,6 quilómetros, alcançada por Luís Gil a 28 de outubro de 2019, no campeonato do mundo de 24 horas, que decorreu na cidade francesa de Albi, em que Vítor Rodrigues se cotou como o segundo melhor atleta luso, com a marca de 218 quilómetros.

O Vitória de Guimarães realçou também que o atleta, ao realizar esta iniciativa, quis alertar para a “causa da saúde mental”.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Continuar a ler

Braga

Covid-19: Os distritos abrangidos pela ARS-Norte diminuem novos casos, veja os números

Publicado

em

Por

Todos os distritos abarcados pela ARS-Norte reduziram os novos casos de infeção com covid-19 entre as semanas de 19 a 25 de novembro e de 26 de novembro a 02 de dezembro, segundo um relatório consultado pela Lusa.

De acordo com o relatório da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) que semanalmente reporta o progresso epidemiológica nos concelhos da região, o distrito de Braga foi o que registou maior diminuição de casos no período (-45%), seguido de Viana do Castelo (-42%), Braga (-38%), Aveiro (-31%), Porto (-30%), Viseu (-23%) e Vila Real (-9%).

O distrito de Braga passou de 536 novos casos, entre 19 e 25 de novembro, para 297 casos, entre 26 de novembro e 02 de dezembro, enquanto em Viana de Castelo o registo de novos casos diminuiu de 828 para 484, em Braga recuou de 7.623 para 4.725, em Aveiro de 2.144 para 1.473, no Porto de 10.739 para 7.553, em Viseu de 312 para 241 e em Vila Real de 1.133 para 1.026.

Numa análise por concelhos, apenas se verificou um crescimento no número de casos em S. João da Madeira (distrito de Aveiro, com +12%), Esposende (distrito de Braga, com +31%), Peso da Régua e Santa Marta de Penaguião (distrito de Vila Real, com +12% e +78%, respetivamente), e Lamego e Resende (distrito de Viseu, com +20% e +22%, respetivamente).

Segundo o relatório, Chaves foi o concelho a Norte que na última semana em análise apresentou a maior incidência de novos casos por 100 mil habitantes (1.118,4 casos), seguido de Mondim de Basto (979 casos), da Trofa (877,2 casos) e de Esposende (772,4 casos).

Considerando a incidência de novos casos nas últimas duas semanas (14 dias) por 100 mil habitantes, indicador para o qual o valor de 240 serve como referência para a aplicação de medidas restritivas aos concelhos, destacam-se também, com os valores mais elevados, os concelhos de Chaves, Mondim de Basto e Trofa (com, respetivamente, 2.216,4 casos, 2.029,9 casos e 1.900,2 casos).

Neste indicador, a média da região Norte fixa-se agora nos 1.096,3 casos.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Continuar a ler

Economia

Oferta que quartos para arrendar aumenta significativamente em todo o país devido á falta de procura

Publicado

em

Por

“À boleia da covid-19” a oferta de quartos para arrendar aumentou 22%, em novembro, refere um estudo do portal imobiliário Idealista, hoje divulgado.

No Porto, a oferta triplicou, numa variação de quase 200%.

Segundo o estudo, do total dos 20 distritos do país, incluindo as ilhas, 10 registaram subidas na oferta de quartos para arrendar face a março, e os restantes 10 viram a sua oferta cair.

Lisboa continua a liderar, sendo a capital de distrito que reúne o maior número de anúncios, com uma variação positiva de cerca de 61%, de março para novembro, porém o Porto, destaca-se na lista com uma variação de quase 200% desde o início da pandemia.

Braga registou um crescimento de 174%, no entanto, em Beja, “não havia anúncios de quartos para arrendar em novembro”, sendo que a oferta era já “residual” em março.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Continuar a ler

jornal opinião pública

fama rádio

Artigos recentes

Arquivo

FAMA NAS REDES

Mais vistos

anuncie neste espaço > ligue +351252308147