Siga-nos nas redes

País

Cerca de 3.330 portugueses residiram ilegalmente nos Estados Unidos em 2019

Publicado

em

Segundo um relatório obtido hoje, o Departamento de Segurança Interna norte-americano suspeita que pelo menos 3.291 portugueses e 41.487 brasileiros tenham ficado ilegalmente nos Estados Unidos depois de expirarem as autorizações ou vistos no ano passado.

Num relatório sobre 2019, consultado pela agência Lusa, o Brasil é o país que conta o maior número de permanências ilegais nos Estados Unidos da América (EUA) com os vistos de negócios (B1) ou de turismo (B2), com um total de 43.741.

Quanto a Portugal, o Departamento de Segurança Interna indica que se esperavam mais de 206.750 partidas de cidadãos portugueses dos EUA, das quais 434 foram depois dos prazos estipulados (90 dias depois da entrada) e 3.291 não se realizaram.

Os números contribuíram para uma taxa de ‘overstay’ (ou período excedido de permanência autorizada) de 1,80% de Portugal em 2019.

Portugal faz parte de um programa de isenção de vistos dos Estados Unidos que permite que os cidadãos portugueses viajem e permaneçam em território norte-americano, em turismo ou em negócios, por um período de até 90 dias, sem a necessidade de um visto.

No caso do Brasil ou qualquer outro país de língua portuguesa, os visitantes necessitam de um visto e têm direito a ficar 180 dias em turismo ou em negócios.

Segundo o relatório do Departamento de Segurança Interna, em 2019 eram esperadas 2,3 milhões de saídas brasileiras dos EUA com os vistos de turismo (B1) ou de negócios (B2) e a taxa de prazos excedidos foi de 1,88%.

Segundo o relatório, 41.487 brasileiros terão ficado nos EUA depois dos prazos estipulados pelos vistos e 2.254 cidadãos terão saído depois da data limite.

Apesar de uma taxa baixa, o Brasil é o país que tem o maior número de prazos excedidos ilegais com os vistos B1 ou B2 nos Estados Unidos.

Os números brasileiros contrastam com os dados de outros países que são afetados por uma nova regra da administração de Donald Trump, que pode impor cauções entre cinco a 15 mil dólares por cada pessoa que queira entrar nos Estados Unidos.

Uma nova regra temporária da administração dos EUA contra imigrantes ilegais vai afetar quatro países de língua portuguesa que no ano de 2019 excederam mais de 10% dos períodos de permanência autorizados.

Segundo o mesmo relatório, quatro países de língua portuguesa excederam, em 2019, mais de 10% das estadas permitidas com vistos B1 ou B2: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe.

No caso de São Tomé e Príncipe, os serviços americanos suspeitam que apenas quatro cidadãos com vistos de turismo ou de negócios tenham ficado nos EUA depois dos prazos autorizados em 2019.

Mas de um total de 26 de cidadãos são-tomenses com vistos B1 e B2 que deveriam ter saído, os quatro que ultrapassaram o tempo estipulado criam uma taxa de 15,38%, daí que a administração de Donald Trump procure impor restrições contra novos visitantes.

A Venezuela é o segundo país com mais permanências ilegais depois do prazo autorizado pelos vistos, ao ter totalizado prazos excedidos por 39.270 cidadãos com os vistos B1 e B2 e uma taxa de ‘overstay’ de 8,25%.

Segue-se a Colômbia, com 29.806 ultrapassagens dos períodos autorizados pelos vistos e uma taxa de ‘overstay’ de 2,98%.

Num relatório sobre 2019, consultado pela agência Lusa, o Brasil é o país que conta o maior número de permanências ilegais nos Estados Unidos da América (EUA) com os vistos de negócios (B1) ou de turismo (B2), com um total de 43.741.

Quanto a Portugal, o Departamento de Segurança Interna indica que se esperavam mais de 206.750 partidas de cidadãos portugueses dos EUA, das quais 434 foram depois dos prazos estipulados (90 dias depois da entrada) e 3.291 não se realizaram.

Os números contribuíram para uma taxa de ‘overstay’ (ou período excedido de permanência autorizada) de 1,80% de Portugal em 2019.

Portugal faz parte de um programa de isenção de vistos dos Estados Unidos que permite que os cidadãos portugueses viajem e permaneçam em território norte-americano, em turismo ou em negócios, por um período de até 90 dias, sem a necessidade de um visto.

No caso do Brasil ou qualquer outro país de língua portuguesa, os visitantes necessitam de um visto e têm direito a ficar 180 dias em turismo ou em negócios.

Segundo o relatório do Departamento de Segurança Interna, em 2019 eram esperadas 2,3 milhões de saídas brasileiras dos EUA com os vistos de turismo (B1) ou de negócios (B2) e a taxa de prazos excedidos foi de 1,88%.

Segundo o relatório, 41.487 brasileiros terão ficado nos EUA depois dos prazos estipulados pelos vistos e 2.254 cidadãos terão saído depois da data limite.

Apesar de uma taxa baixa, o Brasil é o país que tem o maior número de prazos excedidos ilegais com os vistos B1 ou B2 nos Estados Unidos.

Os números brasileiros contrastam com os dados de outros países que são afetados por uma nova regra da administração de Donald Trump, que pode impor cauções entre cinco a 15 mil dólares por cada pessoa que queira entrar nos Estados Unidos.

Uma nova regra temporária da administração dos EUA contra imigrantes ilegais vai afetar quatro países de língua portuguesa que no ano de 2019 excederam mais de 10% dos períodos de permanência autorizados.

Segundo o mesmo relatório, quatro países de língua portuguesa excederam, em 2019, mais de 10% das estadas permitidas com vistos B1 ou B2: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe.

No caso de São Tomé e Príncipe, os serviços americanos suspeitam que apenas quatro cidadãos com vistos de turismo ou de negócios tenham ficado nos EUA depois dos prazos autorizados em 2019.

Mas de um total de 26 de cidadãos são-tomenses com vistos B1 e B2 que deveriam ter saído, os quatro que ultrapassaram o tempo estipulado criam uma taxa de 15,38%, daí que a administração de Donald Trump procure impor restrições contra novos visitantes.

A Venezuela é o segundo país com mais permanências ilegais depois do prazo autorizado pelos vistos, ao ter totalizado prazos excedidos por 39.270 cidadãos com os vistos B1 e B2 e uma taxa de ‘overstay’ de 8,25%.

Segue-se a Colômbia, com 29.806 ultrapassagens dos períodos autorizados pelos vistos e uma taxa de ‘overstay’ de 2,98%.

PARTILHE ESTE ARTIGO:

Jornal

Rádio

Artigos Recentes

Desportohá 11 horas

Sporting campeão: a festa leonina em Famalicão

Famalicãohá 12 horas

Redes sociais “inundam-se” de elogios a Paulo Cunha após anúncio da sua saída

Após a confirmação de Paulo Cunha, feita esta tarde, via Facebook, de que não se recandidatará à Câmara Municipal de...

Regiãohá 13 horas

Peregrinos da Trofa e Santo Tirso já chegaram a Fátima

Estão entre os 7.500 que participarão nas celebrações do 13 de Maio Um grupo de peregrinos constituído por 10 pessoas da...

Vídeoshá 14 horas

Paulo Cunha despede-se da Câmara de Famalicão com “sentido de dever cumprido” e um “enorme obrigado”

Paulo Cunha oficializou a sua decisão de não se recandidatar nas eleições autárquicas deste ano, e explicou em direto, via...

Famalicãohá 15 horas

EM DIRETO: Paulo Cunha clarifica dúvidas quanto ao seu futuro

O presidente da Câmara de Famalicão, Paulo Cunha, dirige-se neste momento aos famalicenses depois de muita especulação sobre o seu...

Paíshá 17 horas

Época balnear inicia-se a 12 de junho na maioria dos municípios

A maior parte dos municípios decidiu iniciar a época balnear em 12 de junho, disse hoje o ministro do Ambiente...

Desportohá 17 horas

Ivo Vieira só tem um objetivo: Ser “mais forte do que o Vitória de Guimarães”

O treinador do Famalicão, Ivo Vieira, desvalorizou hoje o seu regresso a Guimãraes e afirmou que o importante é “ganhar...

Famalicãohá 17 horas

Famalicão: Presidente da CESPU eleito presidente da Associação Portuguesa do Ensino Superior Privado

O presidente do Conselho de Administração da CESPU – Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário, Almeida Dias, foi eleito...

Póvoa de Varzimhá 19 horas

Covid-19: Portugal chega aos 4 milhões de vacinas após inoculação de uma utente na Póvoa de Varzim

Portugal atingiu hoje a marca de quatro milhões de vacinas contra a covid-19 administradas à população, com a inoculação de...

Paíshá 20 horas

Covid-19: Mais 1 morto e 268 novos infetados nas últimas 24 horas

Portugal contabiliza hoje mais 1 óbito provocados pela pandemia e 268 novos casos de infeção, segundo o relatório diário emitido...

Paíshá 20 horas

Criança de 2 anos em estado grave após ser atropelada enquanto seguia com os pais, em Valongo

Uma criança de 2 anos do sexo masculino ficou gravemente ferido ao final da manhã desta terça-feira, em Valongo, depois...

Famalicãohá 20 horas

Freguesia de Calendário promove recolha de sangue no próximo domingo

A Associação de Dadores de Sangue de Famalicão promove, este domingo dia 16 de maio, uma sessão de recolha de...

Famalicãohá 21 horas

Famalicão: Lions Clube entrega à Refood mais de 3.700 embalagens para alimentos

O Lions Clube de Famalicão entregou à associação Refood 3.600 embalagens descartáveis, 120 embalagens reutilizáveis e 34 embalagens para recolha...

Famalicãohá 22 horas

Famalicão: AC dá ‘luz verde’ a concessões rodoviárias para as Comunidades Intermunicipais do Ave e Cávado

A Autoridade da Concorrência deu ‘luz verde’ às operações de concentração de transportes nas Comunidades Intermunicipais (CIM) do Ave e...

Guimarãeshá 22 horas

Jovens que faleceram após despiste em Guimarães no último sábado serão sepultados esta quarta-feira

Os dois jovens de 16 e 30 anos que morreram na noite do passado sábado após um despiste rodoviário, em...

Famalicãohá 22 horas

Famalicão: ACIF agenda eleições internas para o próximo dia 09 de junho

A ACIF – Associação Comercial e Industrial de VN Famalicão tem as suas eleições agendadas pata o próximo dia 09...

Famalicãohá 23 horas

Biblioteca Municipal junta pais, educadores e psicólogos em novo projeto de leitura

A Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, de Famalicão, estabeleceu uma parceria com a Associação para o Desenvolvimento Pessoal (EDUPA), para...

Regiãohá 23 horas

Duas pessoas feridas após choque em cadeia de 10 veículos junto à A3 na Maia

Um choque em cadeia envolvendo 10 veículos está a condicionar fortemente o trânsito na Autoestrada 41, junto ao nó de...

Paíshá 23 horas

Marcelo: Pandemia veio reacender discussão sobre regionalização de Portugal

O presidente da República disse hoje que uma das lições que tirou da pandemia é que a descentralização vai implicar...

Famalicãohá 1 dia

Covid-19: 60% dos doentes hospitalizados continuam com pelo menos um sintoma após seis meses

Um estudo hoje divulgado conclui que 60% dos doentes hospitalizados com covid-19 continuam com pelo menos um sintoma seis meses...

Arquivo

FAMA NAS REDES

Mais Vistos

ANUNCIE NESTE ESPAÇO > ligue +351252308147 ou WhatsApp para +351963964191