Siga-nos nas redes

País

Portugueses são os maiores compradores de artigos falsificados em toda a União Europeia

Publicado

em

Um estudo europeu revela que Portugal é o país da União Europeia em que os cidadãos mais admitem comprar intencionalmente produtos contrafeitos colocando o país também entre os que menos compreendem o significado de “propriedade intelectual”.

Os dados constam da terceira edição do Estudo sobre Perceção de Propriedade Intelectual (PI) entre Cidadãos Europeus, realizado pelo Observatório Europeu de Infrações aos Direitos de Propriedade Intelectual, divulgado na terça-feira.

No que respeita à contrafação, o estudo, que se baseou em 25.636 entrevistas a residentes na União Europeia (UE) com idade igual ou superior a 15 anos, revela que a média de europeus que admite ter comprado bens contrafeitos de forma intencional nos últimos 12 meses se situa nos 5%.

Este é um valor que fica muito abaixo do registado em Portugal, o país onde mais inquiridos assumiram comprar produtos contrafeitos no conjunto dos 27 países estudados.

De acordo com o resultado do estudo, 13% dos inquiridos em Portugal (amostra de 1.000 cidadãos) admitiram ter comprado intencionalmente bens contrafeitos no último ano.

Logo a seguir vem a Eslovénia, com 12%, e no extremo oposto encontram-se a Suécia e a Itália, com apenas 2% da população a confessar comprar contrafação.

Além disso, Portugal registou um aumento de três pontos percentuais neste tipo de comportamento, face a 2017, sendo o segundo país da UE que mais aumentou esta infração, logo a seguir aos Países Baixos, onde a subida foi de quatro pontos percentuais.

Em 20 dos 27 países da União Europeia, o número de cidadãos a admitir consumir intencionalmente contrafação diminuiu nos últimos três anos.

O estudo destaca que, no geral, a proporção de europeus que confessa ter comprado recentemente produtos contrafeitos é baixa, embora, em termos absolutos, continue a ser um fenómeno muito significativo, considerando a dimensão da população.

Relativamente aos dois estudos anteriores, não se registou uma grande mudança de comportamento, já que em 2013 a média da contrafação na UE situava-se nos 4%, tendo aumentado para 7% em 2017, e descido para 5% este ano.

O estudo indica ainda que as pessoas que compram intencionalmente bens contrafeitos são geralmente jovens, ainda estudantes e a viver com os pais, e aponta uma relação entre este comportamento e o acesso a produtos pirateados ‘online’.

Outro aspeto atendido neste inquérito europeu foi o entendimento subjetivo que os cidadãos têm do termo “propriedade intelectual”, revelando que quanto menos compreendem o significado do termo mais tendem a comprar mercadorias contrafeitas ou a aceder a conteúdos piratas ‘online’.

Nesta matéria, o estudo traça um panorama menos negativo de Portugal, colocando-o perto da média da UE, ainda que, mesmo assim, ligeiramente abaixo, na compreensão do significado do termo.

No geral, o entendimento subjetivo deste conceito entre cidadãos da UE é elevado: 8 em cada 10 dizem que têm um conhecimento do significado do termo PI “muito bom” ou “bastante bom”, revelando resultados ligeiramente superiores aos observados em 2017 (78%) e em 2013 (76%).

No que respeita a Portugal, 78% dos inquiridos afirmaram saber o que significa PI, num ‘ranking’ que varia entre 91% na Polónia e 32% em Malta.

Áustria, Grécia, Bulgária e Alemanha são outros países com um entendimento elevado do significado do conceito (entre 86% e 88%), ao passo que Finlândia, Dinamarca e Suécia se encontram no extremo oposto, com os cidadãos a admitirem terem um entendimento baixo (41% a 53%).

Relativamente à atitude perante os conteúdos pirateados, 28% dos europeus consideram aceitável quando não há alternativa legal imediatamente disponível, e 27% consideram aceitável quando é para exclusivo uso pessoal.

Em ambos os parâmetros, Portugal está ligeiramente acima da média europeia, com 31% dos inquiridos a considerar aceitável a pirataria naquelas situações.

O acesso intencional a conteúdos de fontes ‘online’ ilegais é significativamente mais baixo, com 9% dos inquiridos portugueses a admitirem fazê-lo, um resultado muito semelhante ao da média europeia (8%).

Contudo, quando comparados com os resultados do último estudo, verifica-se uma diminuição deste tipo de comportamento na média da UE (de 10% em 2017 para 8% em 2020), contrariamente à tendência em Portugal, onde se registou um aumento deste tipo de infração (de 7% em 2017, para 9% em 2020).

Segundo o estudo, um sinal positivo é o que diz respeito ao pagamento por conteúdos ‘online’ de serviços legais e que apontam para que 42% dos portugueses (em linha com a média europeia) o façam.

A análise da evolução no tempo, revela uma mudança positiva na mentalidade dos povos, já que o acesso a conteúdos legais pagos era de 18% em 2013, de 25% em 2017 e 42% em 2020.

Portugal teve um dos aumentos mais significativos neste comportamento, face ao estudo anterior, com um aumento de 28 pontos percentuais (de 14% que pagavam por conteúdos ‘online’ legais em 2017, para 42% este ano).

PARTILHE ESTE ARTIGO:

Jornal

Rádio

Artigos Recentes

Paíshá 2 minutos

Novo recorde: Portugal passa os 10 mil mortos de covid-19 em dia de novos máximos

Portugal ultrapassou a barreira dos 10 mil óbitos este sábado. Segundo a Direção-Geral de Saúde, em 24 horas foram registadas...

Paíshá 1 hora

Covid19: “Multas covid” devem ser pagas na hora e passeios ou ida à loja só com comprovativos

Despacho do Ministério da Administração Interna diz que as forças de Segurança podem pedir comprovativos da aquisição de bens ou...

Famalicãohá 3 horas

Fique em Casa: Proibição de circulação entre concelhos está em vigor até às 05:00 de segunda-feira

Amanhã, domingo, será de exceção, para permitir que os recenseados em outros concelhos – que não o de residência –...

Paíshá 4 horas

Presidenciais: Governo reitera garantias de segurança sanitária e fiabilidade do sistema eleitoral

O Ministério da Administração Interna reiterou hoje que estão garantidas para o exercício do direito de voto nas eleições presidenciais...

Paíshá 5 horas

Enfermeira desaparecida encontrada sem vida na arrecadação da própria casa

O corpo da enfermeira de 49 anos foi encontrado no final da tarde de sexta-feira, na arrecadação da sua casa,...

Mundohá 5 horas

Coronavírus: A humanidade vai ter de conviver com a covid-19 no futuro próximo afirma especialista da OMS

A humanidade vai poder ter de conviver com a covid-19 no futuro próximo, tal como o faz com a SIDA,...

Paíshá 6 horas

Meteorologia: Está aí o Ignacio e traz chuva para o dia de ir votar

Chama-se Ignacio, porque o nome foi-lhe dado pelo serviço meteorológico de Espanha, o AEMET, e é a quarta depressão a...

Mundohá 6 horas

Covid-19: Variante da África do Sul já circula em Portugal

Autoridades de saúde estão a realizar diligências para o rápido rastreio de contactos e interrupção da potencial cadeia de transmissão....

Paíshá 17 horas

André Ventura diz que “ficou muito mal” a Marcelo não comentar manifestação violenta

O candidato presidencial do Chega considerou hoje que “ficou muito mal” ao chefe de Estado e recandidato nada dizer sobre...

Paíshá 18 horas

INEM registou em média 4.300 chamadas por dia em 2020

Com uma média de 4.300 por dia, o INEM registou desde o início do ano um aumento diário a rondar...

Paíshá 18 horas

Confira aqui a chave do Euromilhões desta sexta-feira

Sem vencedores portugueses dos três primeiros prémios do Euromilhões desta semana, registam-se três apostadores em Portugal a vencer o 4.º...

Paíshá 18 horas

Mais de 400 idosos já votaram antecipadamente no Norte

Mais de 400 idosos residentes em lares votaram antecipadamente na região Norte para as eleições Presidenciais de domingo, com os...

Famalicãohá 19 horas

Vídeo: Paulo Cunha dirige-se aos famalicenses antes das Eleições Presidenciais de domingo

O presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha, dirigiu-se, esta sexta-feira, aos famalicenses, sob a forma de um vídeo,...

Paíshá 20 horas

Alerta Fraude: Falsos profissionais da saúde querem agendar vacinas para a covid-19

Direção-Geral da Saúde lançou recentemente um alerta onde relata que existem pessoas fazendo-se passar por profissionais da saúde, abordando a...

Paíshá 20 horas

Homem com arma de fogo “fiscaliza” uso de máscaras na rua e acaba detido em Ovar

Um homem de 33 anos foi detido na manhã desta sexta-feira, em Ovar, depois de uma denúncia, indicando que este...

Desportohá 21 horas

FC Famalicão: “Vamos atingir os objetivos a que nos propusemos no início da época”

Na antevéspera do encontro com o Vitória de Guimarães, da 15.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, o treinador...

Paíshá 22 horas

Técnicos alertam para falta de equipamento dentro das ambulâncias

Alertando para o facto de haverem equipamentos de proteção individual inadequado e que podem potenciar o contágio, os técnicos de...

Famalicãohá 23 horas

Entrevista: Hospital de Famalicão com ocupação a 100% das camas destinadas à covid-19

Numa fase em que a sobrecarga nos hospitais afeta o serviço de saúde nacional de forma transversal, a Fama TV...

Paíshá 24 horas

Programa Erasmus+ alarga-se também ao ensino profissional

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior anunciou hoje que o programa Erasmus + terá duas novas dimensões, nomeadamente...

Paíshá 1 dia

Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar acusam falta de coordenação do INEM

Criticando a falta de coordenação que faz com que as ambulâncias se acumulem nas urgências dos hospitais, o sindicato dos...

Arquivo

FAMA NAS REDES

Mais Vistos